Projeto de extensão do Unibave confecciona mandalas com ervas medicinais | Unibave >
InicioInstitucionalNotícias › Projeto de extensão do Unibave confecciona mandalas com ervas medicinais

Notícias

Projeto de extensão do Unibave confecciona mandalas com ervas medicinais

19 de dezembro de 2023 -
A- A+

Pelo terceiro ano consecutivo, os acadêmicos bolsistas do Centro Universitário Barriga Verde (Unibave), que fazem parte do Programa de Educação Superior para o Desenvolvimento Regional (PROESDE), desenvolveram o projeto de extensão Mandalas Medicinais, que tem o objetivo de realizar o plantio de ervas medicinais em escolas da região. Em 2023, o projeto foi desenvolvido nas escolas Samuel Sandrini, em Orleans, e Antônio Knabben, em Gravatal.

Foram realizadas pesquisas sobre plantas medicinais usadas pelos moradores da região e chegando há uma lista de oito, que foram plantadas nas escolas: alecrim, boldo, babosa, poejo, lavanda, camomila, manjericão e hortelã. Conforme a coordenadora do projeto Mandala, que é professora dos cursos de Farmácia e Enfermagem do Unibave, Mariana Goldim, foram escolhidas plantas de fácil cultivo, das quais são utilizadas as folhas ou flores conhecidas pela população para fazer parte do projeto.

“O projeto Mandala tem esse nome, pois o canteiro de plantas medicinais é feito em forma circular. Conforme o conhecimento tradicional, as mandalas são formas circulares de cura e, assim, juntamos a forma de plantio com as propriedades medicinais das plantas”, explica a professora.

Os acadêmicos realizaram o cultivo nas escolas e a manutenção dos canteiros durante todo o ano, num projeto de intervenção e colaboração junto com a comunidade. Os canteiros foram construídos com garrafas pet, coletadas a partir de campanha de reciclagem com os estudantes das escolas, reaproveitando o material de forma adequada e que serve como proposta de educação ambiental nas escolas envolvidas.

Segundo a professora Marina, o projeto tem sido uma oportunidade para os acadêmicos entrarem em contato com a terra, com as plantas e uma forma de aprofundar o conhecimento sobre o uso de plantas medicinais. Além do cultivo, foi elaborando um e-book, compartilhado com os alunos das escolas com informações sobre a identificação botânica, como cultivar as espécies, as propriedades medicinais e como fazer o uso de forma segura e as contraindicações.

“Muitas plantas estão presentes no dia a dia das pessoas, como temperos e plantas ornamentais, mas também têm propriedades terapêuticas. O exemplo é o manjericão, que pode ser usado como chá para alívio de sintomas de resfriado e da tosse”, comentou a professora. Ainda, segundo ela, o importante é saber identificar as plantas corretamente, fazer o preparo adequado e conhecer as contraindicações. “Por isso a importância de fazer trabalhos de conscientização sobre o uso correto de plantas medicinais nas escolas”, destacou.